3 jul. 2015

Mortes de policiais na Venezuela chegam a 120 até agora em 2015

CARACAS (Reuters) - Um total de 120 policiais foi assassinado até agora neste ano na Venezuela, um dos países mais violentos do mundo, denunciou um grupo local de monitoramento nesta sexta-feira.

O país sul-americano está infestado de armas e tem a segunda maior taxa de homicídios do mundo, atrás apenas de Honduras, segundo a Organização das Nações Unidas (ONU). Criminosos, nos últimos anos, têm cada vez mais atacado policiais para roubar suas armas, veículos e telefones.

O grupo local de monitoramento e direitos humanos Fundação para o Devido Processo (Fundepro), disse ter registrado 120 assassinatos de policiais no primeiro semestre de 2015. No ano passado, o total foi de 268.

Além dos assaltos, os policiais também foram assassinados por vingança ou em tiroteios na perseguição de suspeitos.

A chefe da Fundepro, Jackeline Sandoval, disse que os governos do presidente venezuelano, Nicolás Maduro, e de seu antecessor, Hugo Chávez, foram responsáveis por fracassar no controle da criminalidade na Venezuela e permitiram o florescimento da impunidade.

"Houve 23 planos de segurança do Ministério do Interior, e nenhum funcionou", disse ela em entrevista por telefone. "Enquanto não se reformar o sistema judiciário, e o que você tiver for impunidade, isso contribui para a onda nacional de criminalidade."

Além das mortes de policiais, criminosos mataram 35 oficiais do Exército e 11 guarda-costas, de acordo com a fundação.

(Reportagem de Anina Roche)


reuters_tickers